4 de ago de 2009

Gripe H1N1 mata tanto quanto a gripe comum...

Gripe H1N1 mata tanto quanto a gripe comum
Ela aparece mais no noticiário porque é causada por um novo vírus

A gripe H1N1, popularmente conhecida como gripe suína, avaliada como pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), vem assustando muitos brasileiros também.
A procura de consultas nos postos de saúde de todo país praticamente dobrou e os anúncios de mortes devido à gripe - 15 pessoas no Brasil, sendo 11 no estado do Rio Grande do Sul - alarmam a população. De acordo com a OMS, foram registradas mais de 700 mortes ao redor do mundo.
O alarde e o pânico em torno da doença, no entanto, parecem ser mais intensos do que a extensão dos males da gripe (incluindo óbitos) até mesmo quando ela é comparada com outras enfermidades igualmente nocivas, como a dengue e o sarampo.
De acordo com dados do Ministério da Saúde, a nova gripe é bem parecida com a gripe comum, tanto nos sintomas, quanto nos casos de morte da doença - apenas 0,5% dos casos da gripe suína evoluem para caso de morte, o mesmo número que a gripe comum.Tanto que, devido ao desespero da população, os casos suspeitos não são mais submetidos a exames específicos antes que seja feita uma consulta normal com um especialista.
Também de acordo com o Ministério da Saúde, mais de 70% das amostras analisadas em laboratórios de referência apresentavam resultados negativos, fato que acaba atrapalhando o processo de tratamento das pessoas realmente infectadas com a nova gripe.
De acordo com o infectologista Moises Chencinski, o motivo de tanta divulgação da doença, se dá pela novidade e não pela gravidade. "A H1N1 é bem parecida com a gripe que já conhecemos, mas por ser considerado um novo tipo de vírus a divulgação tomou uma repercussão enorme, fator que acabou alarmando a população brasileira", explica.
Sintomas: O especialista também afirma que ficar de olhos nos sintomas, pode ajudar a detectar a influenza H1N1. "Mesmo apresentando sintomas parecidos, a gripe nova possuí características que diferenciam da gripe comum. A febre, sempre acima de 38°, moleza, falta de apetite e tosse. Coriza clara, garganta seca, náusea, vômito, diarreia e dores nas articulações e na cabeça são características fortes da nova gripe", diz o especialista.
Obesidade:A obesidade também vem sendo motivo de preocupação, quando o assunto é a H1N1. De acordo com um novo estudo realizado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Michigan (EUA), o sobrepeso pode favorecer complicações da doença, levando os pacientes à morte. Os pesquisadores explicam que de sete pessoas internadas no Hospital de Michigan, com o vírus da doença e com IMC acima de 40, dois faleceram.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...